41. A BÊNÇÃO - I

Hoje, vamos refletir a respeito do que significa a bênção. Qual sua origem/ Qual seu sentido? O que comporta dar ou receber a bênção? O Ritual de Bênção, da Congregação para o Culto divino (1984), escreve: “As celebrações de bênçãos ocupam lugar de destaque entre os sacramentais, instituídos pela Igreja para o bem-estar pastoral do povo de Deus. Como ações litúrgicas que são, tais ritos elevam os fiéis ao louvor de Deus e os dispõem a alcançar o efeito principal dos sacramentos e a santificar as diversas circunstâncias de suas vidas”.
Para compreendermos melhor o sentido da bênção, vamos recordar algumas páginas bíblicas para, em seguida, aplica-las à nossa vida.
O Senhor falou a Moisés: Dize a Aarão e aos seus filhos: Com estas palavras deverás abençoar os israelitas: ‘O Senhor te abençoe e te guarde. O Senhor faça brilhar sobre ti sua face e se compadeça de ti. O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a paz (Nm 6,22-26).
Somente Deus pode abençoar, só d’Ele pode vir a bênção porque Ele é o Senhor da criação e da vida. A Bíblia está repleta de bênçãos. Desde o início, encontramos: Deus os abençoou, dizendo: Sede fecundos...  (Gn 1,22); Deus abençoou o sétimo dia e o santificou (Gn 2,3). A história de Abraão começa com a bênção divina: Farei de ti uma grande nação e te abençoarei...  Abençoarei os que te abençoarem (Gn 12,2-3). A bênção acompanha a caminhada do povo de Deus. A Isaque, Deus diz: Eu sou o Deus de teu pai Abraão; nada temas, pois estou contigo. Eu te abençoarei e multiplicarei a tua descendência (Gn 26, 24). Antes de morrer, Isaque abençoa Jacó (cf. Gn 27,27) que, ao morrer abençoou os filhos dando a cada um sua bênção (Gn 49,28). Ao longo da história bíblica a bênção divina nunca falta apara os filhos de Israel que procurar viver na fidelidade à Aliança: Se ouvires estes preceitos e os puseres fielmente em prática, o Senhor teu Deus... te amará, te abençoará e te multiplicará. Abençoará o fruto do solo...  Serás mais abençoado do que todos os povos (Dt 7,12-14).
O povo da Aliança tem consciência dessa bênção e caminha na presença do seu Senhor ciente de ter o olhar amoroso do seu Deus que o protege e acompanha. Por isso, sobretudo, em sua oração, canta constantemente esta certeza: Deus tenha pena de nós e nos abençoe, faça brilhar sobre nós a sua face (Sl 67/66,2); Louvai o Senhor... Porque reforçou as trancas de tuas portas e no teu meio abençoou teus filhos (Sl 147, 1.13).
A bênção recebida não é algo particular de Israel; ela é para todas as raças da terra (Sl 72,17); não só para a casa de Israel e de Aarão, mas também para todos que temem o Senhor (Sl 115/113b, 12-13).
Jesus também abençoava: as crianças (cf. Mc 10,16), os pães e os peixes no momento da multiplicação (cf. Mt 14,19); o pão e o vinho, na ceia da despedida (cf. Mt 26,26); na ceia com os dois discípulos de Emaús (Lc 24,30); enfim, antes de ser elevado ao céu: ergueu as mãos e abençoou-os (Lc 24,50).
A Igreja nascente, como documenta o livro dos Atos, continua segundo o estilo de Jesus. Pedro, em seus primeiros discursos, fala ao povo e diz: Para vós, primeiramente, Deus suscitou o seu Servo e o enviou a vós, para vos abençoar, na medida em que cada um se afaste de suas mas ações (At 3,26). A bênção deve distinguir o comportamento dos seguidores de Jesus: Abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis, recomenda o apóstolo Paulo (Rm 12,14).
Eis, portanto, a presença da bênção na vida do povo de Deus e de Jesus. Eis sua origem. Mas, o que significa e comporta, hoje, para nós abençoar e receber a bênção?
Dom Armando