Sexta-Feira da Paixão: coleta sustenta presença cristã na Terra Santa

A Igreja tem um cuidado especial com os lugares onde Jesus viveu. Da região que compreende Jerusalém, Palestina e Israel, alargando o raio do Egito ao Irã, da Turquia até a Etiópia, há uma mobilização por parte do Comissariado Terra Santa em ações de cuidado e sustento da presença cristã. Esta presença e as iniciativas desenvolvidas são possíveis graças à contribuição dada por toda a Igreja na Sexta-Feira Santa.
O Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, cardeal Leonardo Sandri, escreveu uma carta convocando a participação dos fiéis na Coleta para a Terra Santa. Ele recorda que a Igreja Católica exprime por meio da oração e do ofertório o alento às comunidades dos fiéis e aos Lugares Santos, sobretudo no dramático momento atual que se vive no Oriente Médio.
O arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom Walmor Oliveira de Azevedo, que é membro da Congregação para as Igrejas Orientais da Santa Sé, motiva a participação dos brasileiros nesta ação, salientando que os lugares sagrados da Igreja Católica são um patrimônio de toda a humanidade e os templos “têm valor inestimável para a espiritualidade e para a história”.
 “Lugares de acolhida onde se celebra a fé, vivencia-se o silêncio e a oração. Capelas, igrejas, catedrais e santuários têm significado forte e especial em todos os passos da civilização: receberam nossos antepassados e continuam contribuindo em campos tão importantes, a exemplo da educação, saúde, cuidado com os pobres, cultura e arte. Constituem, pois, uma herança nossa, indicando referência de onde viemos e para onde vamos. Sejamos solidários no cuidado de nossos lugares sagrados, especialmente nesta Sexta-feira Santa.”
Veja na íntegra, toda a reportagem sobre a coleta que é realizada na Sexta Feira Santa, inclusive o destino que é dado à mesma, clicando no LinK: cnbb.net.br/sexta-feira-da-paixao-coleta-sustenta-presenca-crista-na-terra-santa/