DOMINGO DE PÁSCOA

LEITURAS:
Atos dos Apóstolos 10, 34a.37-43
Salmo: 118: Este é o dia que o Senhor fez para nós: Alegremo-nos e nele exultemos!
I Cl 3,1-4; ou 1Cor 5,6b-8
Jo 20, 1-9; ou Lucas 24,23-3
A solenidade da Páscoa desperta em todos os cristãos sentimentos e desejos de vida nova, uma renovada esperança, o sonho de um mundo novo possível, e que cada um/a pode ser melhor. Existe, porém, o perigo que tudo se apague com rapidez e não resista diante das provações e decepções do dia seguinte. Por isso, é preciso por um alicerce mais sólido, capaz de tornar mais firmes as escolhas da vida. Escutar a Palavra de Deus e acolher o Senhor Jesus “enche o coração e a vida inteira da alegria do Evangelho” e, n’Ele, essa alegria “renasce sem cessar”(Papa Francisco: Alegria do Evangelho, 1).
O Evangelho de João conta o episódio das mulheres que vão ao sepulcro, e o encontram vazio;Pedro e João correm para averiguar e confirmar a notícia. Tudo termina com a importante observação: João viu e acreditou. Os olhos da fé se abrem, antes mesmo do encontro com o Ressuscitado. O sepulcro vazio já diz que somente o dedo de Deus poderia ter feito isso; ladrões não deixam tudo bem em ordem. Então, João compreende a Escritura segundo a qual ele devia ressuscitar dos mortos. É o primeiro despontar de uma fé que terá respostas e suportes maiores, mas que imediatamente abre novos horizontes.
Páscoa é passagem. Antes de tudo, é Deus que passa na vida do seu povo explorado, sofrido, escravizado, e infunde nele grande força e coragem para tentar a aventura, com muita luta e sofrimento, para arriscar caminhos até alcançar libertação. Esta passagem continua. Alcança seu ponto mais alto em Jesus que passa da morte a vida nova. O apóstolo Pedro (I leitura) testemunha: Jesus andou por toda parte, fazendo o bem... Os judeus o mataram, pregando-o numa cruz. Mas, Deus o ressuscitou... E Jesus nos mandou pregar ao povo...
Quem acreditar na Bela Notícia que dos pregadores recebemos, então, vai perceber que uma passagem vai acontecer também em sua vida. Na II leitura, ouvimos o apóstolo Paulo que escreve aos seus cristãos: Vós morrestes e a vossa vida está escondida, com Cristo, em Deus. E o apóstolo acrescenta: Vós morrestes (unidos à sua morte, pelo batismo) e a vossa vida está escondida com Cristo, em Deus. O cristão sabe que, sempre pelo batismo, banhado em Cristo, tornou-se nova criatura. Aconteceu uma passagem, a nova vida. Quais as consequências? Responde Paulo: Se ressuscitastes com Cristo¸ esforçai-vos por alcançar as coisas do alto, onde está Cristo.
Quem sentir a presença do Ressuscitado e acreditar que “a morte foi vencida pelo Autor da Vida”, esse vive no mundo, mas com o coração mais aberto, com uma luz que o ilumina, a esperança que o sustenta e o amor que faz desabrochar sentimentos, atitudes e comportamentos de acordo com a certeza da vida plena em Cristo, vida que já circula nas veias do cristão/batizado. Por isso, o papa Francisco pede: “É preciso permitir que a alegria da fé comece a despertar, como uma secreta, mas firme confiança, mesmo no meio das piores angústias” (A alegria do Evangelho, 6).
Cada um/a se pergunte: - Qual passagem devo realizar em minha vida para ser coerente
com o meu batismo? –A certeza da Ressurreição ilumina e orienta as minhas escolhas no dia-a-dia?

Dom Armando