Será que os jovens de hoje não querem nada?


Cada fase da vida tem sua peculiaridade! Viver è uma arte, uma grande arte e, talvez, das mais difíceis! Requer paciência, empenho, dedicação e sabedoria que se adquire, obviamente, com o tempo.
A infância é uma das fases mais lindas, quando vivida com os afetos e cuidados que lhes são devidos. Ela marca o resto de toda a existência humana. Cada vez mais me convenço que são as experiências da infância que determinam o modo de enfrentar a vida no depois.
Fase também bela da vida é a velhice, a terceira ou quarta idade. Ela porta a riqueza da experiência acumulada no decorrer dos anos vividos e, consigo, produz uma grande sabedoria. Os idosos de costume são pessoas sábias. Cada história contada carrega em si experiências vividas e lições aprendidas. Porém, entre essas duas grandes fases existe aquela que possui uma beleza singular, a juventude.
Ser jovem é sinônimo de alegria, de festa, de entusiasmo, de conquista, de sonhos, de lutas e ideais para si e para o mundo. A juventude bem vivida traz realizações que contribuem para aquilo que chamamos de felicidade. Talvez por ainda não carregar consigo uma bagagem de experiências tão grande, os jovens precisem de maior atenção por parte daqueles que já são mais experientes. Por natureza ele é aventureiro, conquistador, buscador, enfim vive a vida através da novidade que ela comporta.
Dentro da sociedade o jovem representa a força de transformação da realidade em que se vive. Por isso mesmo ele precisa acreditar em si mesmo, nos seus potenciais, na sua criatividade, para concretizar em sua vida e na vida do mundo mudanças que ajudem na realização pessoal e na evolução da sociedade da qual faz parte. Gosto também dos jovens que tem senso crítico sobre a vida, a política, a sociedade, a cultura e também a religião. Um jovem que aceita tudo passivamente é um jovem manipulado pelos sistemas dominantes que os seres humanos constroem. Uma juventude pra frente é aquela capaz de questionar as coisas e fazer um discernimento para suas escolhas mais acertadas.
Infelizmente na humanidade nem sempre os jovens são compreendidos. Alguém dizia uma certa vez que foi encontrada nas pirâmides do Egito, construídas há 4.500 anos, uma frase que dizia: “os jovens de hoje não querem nada”. E, depois disso, até hoje costumamos ouvir a mesma expressão. Será que isso não revela um conflito de gerações, que afinal não se compreendem?! Será mesmo que ele não querem alguma coisa ou será que não estão oferecendo a eles confiança e oportunidade que eles precisam?!
Vendos os noticiários, muitas vezes fico triste de saber que grande parte dos jovens do nosso tempo é vítima de tantos males sociais: vítimas da droga, do tráfico, do desemprego, da falta de educação qualificada, da cultura líquida e fraca, da família desestruturada, da sociedade do descartável, enfim, sempre vítima de um mundo que não oferece o melhor para a sua juventude.

No mês de julho deste ano acontecerá no nosso Brasil a JMJ com o Papa Francisco. Rezemos para que seja uma oportunidade bela para renovação das esperanças dos e nos nossos jovens. Com certeza o Santo Padre, com sua presença e alegria contagiante, deixará uma mensagem de ensinamento e de motivação para a juventude. Que Jesus Cristo, o jovem que revolucionou o mundo transformando o para melhor e o redimindo, fortaleça, ilumine e abençoe os jovens do mundo inteiro. 

Pe. Nicivaldo,
mestrando em Teologia Moral, ROMA