QUE O NATAL NÃO SEJA DO PAPAI NOEL


Estimados amigos e amigas visitantes do blog de nossa querida Diocese de Livramento de Nossa Senhora, estamos vivendo o tempo do Advento, um tempo de preparação para a festa do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, marcado pela espera ansiosa do Emanuel, o Deus Conosco que vem como uma luz para iluminar nossas vidas e transformar nossa história. Ao longo desses quatro domingos do Advento somos chamados a realizar uma bela experiência de reflexão a cerca da vinda de Jesus. Para isso, a Igreja nos exorta à vigilância e à conversão para vivermos este tempo de espera com esperança e com alegria acolher “o Deus que se faz homem e vem morar em nosso meio” (Jo 1,14). Destarte, aproveitando o intenso ardor missionário da nossa Igreja que vive em constante anúncio da Boa Nova da salvação, precisamos evangelizar também neste natal para que o sentido maior desta festa não seja substituído por outros elementos simbólicos que utilizamos nas ornamentações de determinados ambientes. Temos como exemplo o papai noel, aquele homem vestido de vermelho encarregado de distribuir presentes. De fato, podemos observar que esse velinho de vermelho vem recebendo muita atenção em nosso tempo, basta olharmos para as decorações de muitas casas, ruas e lojas para perceber que o papai noel tem seu lugar reservado, enquanto o próprio Jesus, que representamos através do presépio, dificilmente aparece. Precisamos evangelizar para que o natal de Jesus não seja confundido com o natal do papai noel. Por isso, a Igreja esforça-se firmemente, por meio do Advento, para preparar nossas mentes para compreender o verdadeiro significado desta festa e abrir as portas dos nossos corações para acolher o Deus da paz que quer morar em nossas vidas e dar um novo sentido à nossa existência, libertando-nos dos sofrimentos e trazendo-nos a salvação. Além disso, a novena de natal é também outro momento forte de preparação, realizado nas casas dos fiéis ele tem o intuito de preparar as famílias para viver este tempo com amor e alegria. Certamente esses momentos vividos pela Igreja nos estimulam a celebrar o nascimento do Messias com o desejo de renovar nossa fé para perseverar na construção do Reino de Deus e na promoção da paz e da justiça. Então, precisamos mostrar para todos que a festa do natal é para celebrar o próprio Jesus Cristo, portanto, que o natal não seja do papai noel, nem da árvore de natal, nem das luzes e tampouco do panetone, mas seja a celebração da Igreja que clamando “Maranata – Vem Senhor Jesus!” (Ap 22,22). Rejubila com a vinda do Salvador e por esse motivo festeja com fé e exultação. Assim, caros amigos e amigas visitantes do nosso blog diocesano, vivamos este tempo com muita esperança, disponíveis a realizar um autêntico encontro pessoal com o Senhor da luz, aceitando e acolhendo o Salvador na perspectiva de que sua vinda transforme toda nossa história.

Seminarista Marcos Bento
Filosofia