2º DOMINGO DO ADVENTO


Advento é tempo de esperança e alegria, também de reflexão e conversão. Tempo de avaliar nosso contato e intimidade com a Palavra de Deus, e, a partir de seu apelo, resignificarmos nossos comportamentos e atitudes, nossa interioridade e vivência religiosa, nossa relação com os irmãos e irmãs, enfim toda a nossa vida na direção de Deus, nosso maior bem, nossa origem, nossa razão de ser, nosso fim. Na liturgia deste segundo domingo do Advento desponta no Evangelho São João Batista, precursor do Messias, a pregar aquilo que, na visão de São Lucas, dele se dizia no livro do profeta Isaías: “Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas” (Lc 3,4). A missão profética de João Batista, bem como de Isaías, constitui-se num pedido insistente à conversão, à renovação pessoal e das estruturas sociais, a fim de que, eliminados os empecilhos, o Senhor possa fazer morada no mundo e no coração dos homens: “os caminhos acidentados serão nivelados e toda carne verá a salvação de Deus”. (Lc 3,5-6). Ante o apelo de João Batista, convém perguntar-nos: quais os valores e prioridades de nossa vida? Nossa forma de pensar e agir leva em consideração o Evangelho? Quais os obstáculos que impedem um seguimento mais autêntico e profundo a Nosso Senhor Jesus Cristo? Para acolher a boa notícia do Reino de Deus é preciso liberdade e disponibilidade interior. Assim, fica mais fácil acolher Cristo e sua proposta de salvação. Salvação esta que o Senhor não desiste de nos oferecer, apesar de nossos pecados. É esta alegria que a primeira leitura, do livro de Baruc, nos anuncia, ao convidar Jerusalém a despir o luto. Ela sugere que o caminho de conversão é um verdadeiro êxodo do exílio para a terra feliz da liberdade. Neste itinerário somos chamados a nos despir de tudo aquilo que possa nos impedir de receber a libertação de Deus. Como João Batista, também os cristãos e comunidades eclesiais de hoje recebem do Senhor o convite ao anúncio profético e à vivência da caridade, superando divisões e conflitos e testemunhando o Senhor que vem. É a mensagem da segunda leitura, da carta de São Paulo aos Filipenses, na qual o apóstolo também manifesta sua alegria pelos seus destinatários, empenhados na causa da difusão do Evangelho. É essencialmente missão da Igreja de Jesus Cristo o compromisso com a Evangelização. 

Sem. Weverson Almeida