VOCÊ ACREDITA?


            Acreditar é o ato de confiar, é o ato de crer, de entregar o coração a algo ou alguém. Em termos teológicos, chamamos a isso de fé. Desde que nascemos, passamos a acreditar nas coisas: sejam naquelas que os outros nos falam, nas que nós vemos, nas que buscamos através do conhecimento e também nas coisas que nós não vemos. Toda crença tem uma razão de ser. Não é tão difícil acreditar, mas também não é tão simples acreditar. Todos, sem exceção, acreditam em alguma coisa, ainda que não seja em Deus. São Paulo diz que existem pessoas que fazem do seu estômago o seu deus (Fl 3,19). De costume, passamos a vida mais acreditando que desacreditando. Acreditamos que a roupa que alguém fez e que vestimos não vai descosturar enquanto caminhamos pela rua; acreditamos que a cama em que dormimos, feita pelo carpinteiro, não vai quebrar; acreditamos que a casa não vai cair sobre nós; acreditamos que o pneu do carro que viajamos não vai estourar; e assim por diante. Simplesmente, acreditamos nas pessoas que fazem as coisas, e é verdade que a gente nem as conhece, nem nunca vimos. Assim, passamos a vida inteira dando confiança, acreditando. Além das coisas concretas, visíveis, acreditamos também no além, em Deus. Mas nunca fomos no além, não sabemos quem fez Deus, nunca vimos Deus!! Como podemos acreditar naquilo que não podemos provar sua existência. Antes de mais nada, sabemos que a fé é um dom. Todos têm a capacidade de acolher ou rejeitar esse dom. É uma questão de decisão pessoal, de entrega do coração. Só acredita quem está disposto a dar o coração.  É verdade que em nossos tempos, sempre mais evoluídos, tem aumentado muito o número das pessoas que dizem não acreditar em Deus. O que fazer? Será que se deve argumentar, tentar convencê-las, fazer um pacote de fé e dar de presente a essas pessoas? Em termos cristãos, que é o nosso caso, diante de um mundo cada vez mais descrente, resta-nos uma tarefa corajosa e bela: dar testemunho daquilo que nós cremos, do Deus que nós cremos, com nossa vida, com nossos gestos e atitudes, por via do amor. Se amardes uns aos outros, todos reconhecerão que sois meus seguidores (Jo 13,35).  Esse Deus que acreditamos transformou-se em gente como nós, “nos visitou e libertou”: Jesus de Nazaré. Esse rapaz mostrou, com sua vida e seus ensinamentos, um amor gigantesco pela humanidade. Revelou, com suas atitudes, a sabedoria profunda de quem conheceu o Divino. Sem ser professor ensinou tanto... Mas não deu aula de matemática, geografia, língua etc... Ele deu aulas de vida; ele ensinou-nos a viver. Porque não é fácil saber viver. Assim, esse rapaz, chamado Jesus, ajudou-nos e ajuda a compreender o mistério da vida, do mundo, do homem e do Criador. Com o seu ensinamento, levou-nos, pobres pecadores, a aproximar-nos de Deus, e isso é salvação. Quem crê possui a vida eterna (Jo 6,47). Eu acredito, e dou meu coração por isto. Você também acredita?
            ORAÇÃO: Senhor, ajude, com sua graça, todos aqueles que têm dificuldade em acreditar, para que, acolhendo esse dom, te conheça a Ti, e te conhecendo procurem te amar, e te amando procurem te servir, e te servindo possam ajudar a humanidade a ser mais feliz, e serem felizes também. Amém!

Pe. Nicivaldo de Oliveira Evangelista
Roma - Itália