MÊS DAS VOCAÇÕES: Cristão Leigo


No último domingo de Agosto, em todo Brasil, celebramos a vocação dos cristãos leigos na Igreja e na sociedade. São homens e mulheres da Igreja no coração do mundo, homens e mulheres do mundo no coração da Igreja. O saudoso Papa João Paulo II, em sua exortação apostólica “vocação e missão dos leigos na Igreja e no mundo”, diz que “as novas situações, tanto eclesiais como sociais, econômicas, políticas e culturais, reclamam, hoje, com uma força toda particular, a ação dos fiéis leigos. Por isso, é necessário que os leigos assumam com ardor a sua missão evangelizadora, a fim de humanizar e transformar as estruturas e as relações pela vivência e pelo testemunho do Evangelho em seus ambientes de convivência. O documento da Conferência de Santo Domingo, de 1992, já destaca o protagonismo dos leigos na nova evangelização, na promoção humana e na cultura cristã. Mas para que isto aconteça, a Igreja sente cada vez mais a necessidade de incentivar uma formação integral, gradual e permanente dos leigos. O momento presente reclama a presença de um número maior de cristãos leigos, adequadamente preparados, para responder aos desafios da sociedade e do momento atual. Neste sentido, são intensificados os cursos de formação, também em nossa Diocese. O Documento da Conferência de Aparecida, em 2007, retoma e reafirma as posições do Concílio Vaticano II de que os cristãos leigos são membros efetivos do Povo de Deus e são Igreja.  Primeiramente, os cristãos leigos são chamados a exercerem diversas ações na comunidade eclesial e em diferentes formas de apostolado. Devem dar seu testemunho de vida e assumir diversos ministérios e serviços na evangelização, na catequese, na animação de comunidades, na liturgia, dentre outros. A outra dimensão é a de atuar no mundo com a tarefa de ser fermento, sal e luz, seja pelo testemunho, seja pela ação transformadora na construção da sociedade justa e solidária, conforme os critérios evangélicos. Essa missão específica deve ser vivenciada pelos cristãos leigos na política, na realidade social, na economia, nos meios de comunicação, nos sindicatos, no mundo do trabalho, na cultura, na família e em tantas outras realidades.
Vide Blog 

"Católicos em Breves"