V DOMINGO DA QUARESMA


1ª Leitura: Jr 31,31-34
Salmo 50 (51): Criai em mim um coração que seja puro!
2ª Leitura: Hb 5,7-9
Evangelho:  Jo 12,20-33

O desejo do coração em ver Jesus é o grande anseio de convivência da criatura com o seu Criador. Encontrar-se com o Messias, com o Jesus de Maria, com o Cristo, o ungido doSenhor, o Filho do Altíssimo é o caminho que conduz o ser humano a Deus.
            Não se trata de um mero olhar ou uma curiosidade por ter ouvido falar que havia em Jerusalém um novo profeta, mas é preciso encontrar uma motivação mais profunda no desejo de vida e de felicidade que existe dentro de cada homem e de cada mulher. É um ver que exige de cada pessoa, de cada cristão um caminhar em direção a Ele. Caminhar em direção a Jesus significa entrega-Lhe a própria vida sem medo de perdê-la, sabendo que somente Nele e por Ele é que ela encontra o verdadeiro sentido.
            “Queremos ver Jesus” é um pedido de pessoas que não faziam parte do povo eleito, de uma raça que não“pertencia” a Deus. Os gregos, reflexo de todos os povos, ensinam-nos que a aliança que Deus realiza em Jesus Cristo não é um privilégio de alguns, ou uma minoria distinta, mas é uma nova aliança que será inscrita nos corações e Ele será “nosso Deus” e nós seremos seu povo, pois o Senhor nos fará contemplar seu perdão sobre nossas maldades e não se lembrará de nossos pecados.
            Ver Jesus é compreender que Ele amando-nos por primeiro, também nos contemplou antecipadamente. Somos atraídos por seu olhar ao voltar nossos corações para sua Pessoa. Somos seduzidos por Ele. E esta atração é forte, é fascinante. Pois, todo aquele que se abre a contemplação de Deus, contempla-se a si mesmo, contemplando a humanidade como lugar, no qual Deus confirma em nós seu amor, sua misericórdia e sua benevolência.
            “Quem quer me servir, siga-me” este convite de Jesus no Santo Evangelho, mostra-nos que realiza verdadeiramente a experiência com o Cristo quem é capaz de seguir seus passos e entregar sua vida pelo anúncio do Reino e o bem do próximo; é capaz de segui-Lo que compreende que recebendo a salvação divina por causa da obediência do Filho, busca concretizar igualmente esta obediência a Deus no cotidiano de sua existência.
            Que a espiritualidade quaresmal que tem por objetivo nos conduzir a Deus tenha encontrado abertura em nossas vidas, para queterminando esta caminhada possamos de, fato, ver Jesus sendo elevado no madeiro da cruz e nos deixarmos ser atraídos por Ele para contemplarmos a sua Gloriosa Ressurreição na Páscoa que celebraremos, não como um rito anual, mas como a antevisão da glorificação do Filho pelo Pai, esperançosos de que cada pessoa que procura ver Jesus no dia-a-dia, que se esforça para vê-lo na Eucaristia, na Palavra, na Igreja e no irmão sejamos glorificados pelo Pai, graças a mediação do Filho. 

Diácono Gonçalo Aranha dos Santos