PARA MELHOR COMPREENDER A QUARESMA


INTRODUÇÃO
Vivemos o tempo da Quaresma, em nossas celebrações ouvimos um convite especial do Senhor: “Eis o tempo de conversão! Eis o dia da salvação!”. Este convite se inicia na quarta-feira de Cinzas, para a festa da Vigília Pascal, no Sábado Santo, na solene celebração da Páscoa.
Ainda bem no começo, os cristãos sentiram a necessidade de solenizar o acontecimento que mudou os rumos da história. Decidiram fazer, uma vez por ano, uma grande festa, com cuidadosa preparação, para celebrar intensamente a Páscoa de Jesus Cristo. A maior de todas as festas, a Festa das Festas, o Domingo dos domingos (páscoa anual).
Toda festa merece uma boa preparação. Não podia ser diferente a preparação da festa da Páscoa. A Igreja definiu estes quarenta dias que, com o tempo, receberam o nome de quaresma.
Quaresma passou a significar o caminho para a festa, preparada no coração, através da oração, do jejum e da caridade. É também o temo de conversão e entrada na prática e na solidariedade de Jesus. Não é um tempo de luto ou tristeza, mas de profunda expectativa e inteligente concentração para viver intensamente as alegrias da Ressurreição do Senhor.
COMO SE PREPARAR PARA A PÁSCOA?
Desde os tempos mais antigos, a Quaresma foi considerada como um tempo de renovação espiritual, de revigoramento das promessas do Batismo e fortalecimento interior para o testemunho do Evangelho. Isso através de três práticas muito significativas: a oração, a esmola, o jejum.
A oração como experiência de fé e gratuidade para pedir a Deus forças e nos convertermos, para viver o Evangelho e permanecer no bom caminho.
O jejum como espaço privilegiado de exercício para dominar as paixões, vencer o egoísmo e cultivar o bem.
A caridade como expressão do seguimento do Mestre que exige abandono de nós mesmos e doação aos irmãos.
As três atitudes – oração, jejum, esmola – complementam-se, não são atitudes isoladas ou temporárias na vida do cristão.
QUARESMA, CAMINHO DO BATISMO
A Quaresma tem caráter essencialmente batismal, sobre o qual se assenta o caráter penitencial. Na verdade, a Igreja é comunidade pascal porque é batismal. Isso deve ser afirmado não só no sentido de que nela entramos mediante o Batismo, mas, sobretudo, no sentido de que a Igreja é chamada a exprimir, com vida de contínua conversão, o sacramento que a gera. Daí também o caráter eclesial da quaresma. Ela é o tempo da grande convocação de todo o povo de Deus, para que se deixe purificar e santificar pelo seu salvador e senhor.
A Quaresma, portanto, está ligada ao Batismo. Para os batizados, o tempo da Quaresma é sempre uma nova oportunidade de recolocar a vida nos trilhos da Salvação e renovar a aliança batismal. É tempo de conversão, de aprofundamento da fé e um processo de crescimento na vida da Igreja como “casa da iniciação à vida cristã”.
A QUARESMA PARA O CRISTÃO
Quaresma é:
- tempo abençoado e privilegiado na vida da Igreja;
- tempo de conversão, purificação e glorificação do Senhor;
- tempo de abrir o coração para a novidade do Evangelho, tendo como centro a cruz de Cristo, sinal de salvação e reconciliação da humanidade;
- tempo de renovação da aliança, de revitalização das promessas do Batismo e inserção consciente na comunidade;
- tempo de se envolver, de corpo e alma, na libertação das pessoas excluídas e oprimidas, vítimas de tanta corrupção, violência e descasos com a vida;
- tempo de abandonar os ídolos e de renovar, por meio da escuta da Palavra e da oração, nossa fidelidade ao Deus de Jesus Cristo;
- tempo único e precioso de subir com Jesus ao monte Tabor, de viver na intimidade com ele, de conhecer seus desígnios;
- tempo de nos deixarmos acolher e tocar pela misericórdia do Senhor;
- tempo de ressuscitarmos com Cristo e nos colocarmos a serviço de seu Reino.


Texto Adaptado de Rot. Hom. 2012