Posse do Pe. Enésio na Paróquia Santíssimo Sacramento de Rio de Contas

No último domingo, dia 26/03, o Pe. Enésio, religioso da congregação dos Joseleitos de Cristo, recebeu o ofício de Pároco da Paróquia Santíssimo Sacramento de Rio de Contas. A celebração foi presidida pelo Bispo diocesano, D. Armando Bucciol, e contou com a participação de Pe. José Maria (representante do superior da congregação dos Joseleitos), Pe. Rinaldo (chanceler da diocese) e de Pe. Adailton (vigário da Paróquia).
Num clima sereno, foi realizada a leitura do decreto de posse e o Pe. Enésio foi apresentado à comunidade, que manifestou sua acolhida. O novo pároco ainda prestou o juramento de fidelidade e renovou suas promessas sacerdotais diante do bispo e da comunidade.

Fazemos votos de que o caminho de evangelização e missão nessa paróquia seja ainda mais animado com a chegada do novo pastor.

Formação em Piatã: setor 4 (Inúbia)

No último sábado (25), dia em que a Igreja celebra a Solenidade da Anunciação do Senhor, aconteceu, na sede do setor 04 da Paróquia do senhor Bom Jesus de Piatã, uma formação assessorada pelo padre Idérico e uma equipe composta por alguns estudantes da Escola de Teologia para Leigos.
Formado por 18 comunidades, e sediado em Inúbia, o setor 04 foi o primeiro a passar por esta nova experiência de formação.
O encontro iniciou-se na igreja de santo Antônio, com oração das laudes, e logo a após o padre Idérico falou sobre comunidades e localidades, nos lembrando também de como nossa igreja se formou ainda nos primeiros anos. Após, houve uma caminhada até o Colégio Municipal Professora Eulina Rosa Soares, onde aconteceu a partilha de um lanche. Depois, as pessoas foram divididas por grupos, de acordo com a sua pastoral: setor juventude, dízimo, batismo, catequese, MESCE e animadores de comunidades.

Com um intervalo para almoço, o retorno foi às duas horas com as considerações finais e avaliações. Houve ainda uma missa na igreja de Nossa Senhora da Conceição com a festa dos legionários, que renovaram sua consagração a Jesus através de Maria, e a devoção à Mãe de Deus. Veja fotos.

CPP DA PARÓQUIA DE SÃO JOÃO BATISTA DE DOM BASÍLIO SE REÚNE PELA PRIMEIRA VEZ EM 2017




Com a presença de praticamente todos os pares, o CPP da Paróquia de São João Batista de Dom Basílio se reuniu no dia 26.03. Encabeçando a pauta, a Carta Pastoral de Dom Armando “NA ESCUTA DO QUE O ESPÍRITO DIZ À NOSSA IGREJA”, foi apresentada por Raiana, professora da ETeL, que suscitou a participação de todos, através das discussões, seguindo as reflexões que vêm na própria carta, e o irmão Edmundo fez o momento de espiritualidade acerca do tempo litúrgico da Quaresma, sendo estes os conteúdos que preencheram o turno matutino. À tarde, Samuel Coelho passou orientações quanto à burocracia paroquial no respeitante às comunidades, e o padre Rinaldo trabalhou com os presentes a temática da Visita Pastoral, que será realizada em julho próximo, levantando pontos que comporão o relatório paroquial a respeito. Foi um dia intenso, de muito trabalho, mas necessário para ajustes na caminhada eclesial que se faz sobre o patrocínio de João Batista, o grande Precursor. Mais fotos!

ENCONTRO DE CATEQUISTAS EM RIO DO PIRES

No último dia 25, os catequistas da Paróquia de Senhor do Bonfim de Rio do Pires se reuniram, no Centro Paroquial, para o primeiro encontro de 2017. Assessorado pelo Padre Weverson, o encontro teve como objetivo o estudo de alguns pontos da Carta Pastoral de Dom Armando: “Na escuta do que o Espírito diz à nossa Igreja”, bem como a identificação dos catequistas e da estrutura catequética nas comunidades em 2017 e também planejar as atividades da pastoral para este ano. Boa parte dos (as) catequistas esteve presente e reafirmou seu compromisso com Cristo e com a Igreja através da catequese. Veja algumas fotos.

Encontro da Pastoral do Dízimo- Vicariato Nossa Senhora do Alívio

No último sábado, dia 25, aconteceu, no Salão Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, o Encontro da Pastoral do Dízimo do Vicariato Nossa Senhora do Alívio. Foi conduzido pelo Padre Samuel Neves Silva, assessor da Pastoral do Dízimo na diocese. O encontro iniciou-se com um momento de oração. Depois, relembrou-se e partilhou-se a respeito das propostas para a Pastoral do Dízimo feitas no último encontro. Em seguida, o padre Samuel apresentou as propostas para este ano, entre elas o estudo do Documento 106 da CNBB – Dízimo na comunidade de Fé: orientações e propostas. Destacou-se a necessidade de compreender o que é o dízimo, o qual é experiência com Deus, compromisso moral e decisão pessoal. Além disso, salientou-se a importância da pastoral e seus zeladores na animação e no fortalecimento de outras pastorais e movimentos, como também dos dizimistas. O encontro contou com aproximadamente 70 pessoas das Paróquias de: Nossa Senhora do Alívio (Ituaçu), Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Tanhaçu), São Bento (Ibicoara) e Bom Jesus (Barra da Estiva). Acompanhe as fotos!
Pascom do Vicariato Nossa Senhora do Alívio

Dom Armando inicia Visita Pastoral na Paróquia N. Senhora do Alívio em Ituaçu

Hoje (26), à tarde, o nosso bispo, Dom Armando, iniciou a Visita Pastoral na Paróquia de Nossa Senhora do Alívio, em Ituaçu.     
A visita é momento importante para a caminhada da Paróquia e também para as famílias, instituições e para todos os que receberão as orientações do nosso bispo.
As visitas pastorais têm a sua origem nas visitas que os Apóstolos faziam às Co­mu­nidades cristãs por eles fundadas. 
De acordo com o Código de Direito Canônico (1983), aos cânones 396-398, os bispos de nossa Igreja têm a obrigação de visitar toda a diocese, ao menos a cada cinco anos. A visita deve abranger as pessoas, as instituições católicas, as coisas e os lugares sagrados que se encontram no âmbito da diocese (can. 397).
Acolhida do pároco e paroquianos ao Bispo
     

Nesses dias, todos os católicos de nossa amada diocese são convidados a acompanhar, com as orações, o nosso bispo e os paroquianos de Ituaçu.


CELEBRAÇÃO DA CRISMA NA COMUNIDADE DO TINGUÍ

No último dia 17, na Paróquia de Nossa Senhora do Livramento, Comunidade de Tingui, aconteceu à celebração da crisma de alguns jovens da Comunidade. A celebração foi presidida pelo nosso Bispo, Dom Armando Bucciol e concelebrada pelo Padre Ademário da Silva Ledo Filho. Contou com a participação, fervorosa, de um grande número de fiéis. Veja fotos! 

Encontro da Pastoral do Dízimo em Ibipitanga


No último sábado, dia 18/03, aconteceu, em Ibipitanga, um encontro com os missionários do dízimo do Vicariato Nossa Senhora do Carmo, com a presença de seus Párocos, Pe. Weverson, Pe. Jucimar e Pe. Samuel, que presidiu o encontro. Inicialmente, foram apresentados os missionários de cada paróquia. Prosseguiu-se, informando sobre as dimensões do dízimo e foram dadas algumas orientações sobre os trabalhos da pastoral. Adielson Alves, contador da Diocese, falou sobre o conselho econômico. Foi falado ainda sobre o código de direito canônico. O encontro foi encerrado às 13 horas com o almoço.Veja mais fotos.


Pascom Nossa Senhora do Carmo.

NOTA DA CNBB SOBRE A PEC 287/16 – “REFORMA DA PREVIDÊNCIA”

“Ai dos que fazem do direito uma amargura e a justiça jogam no chão”
 (Amós 5,7)

O Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunido em Brasília-DF, dos dias 21 a 23 de março de 2017, em comunhão e solidariedade pastoral com o povo brasileiro, manifesta apreensão com relação à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, de iniciativa do Poder Executivo, que tramita no Congresso Nacional.
O Art. 6º. da Constituição Federal de 1988 estabeleceu que a Previdência seja um Direito Social dos brasileiros e brasileiras. Não é uma concessão governamental ou um privilégio. Os Direitos Sociais no Brasil foram conquistados com intensa participação democrática; qualquer ameaça a eles merece imediato repúdio.
Abrangendo atualmente mais de 2/3 da população economicamente ativa, diante de um aumento da sua faixa etária e da diminuição do ingresso no mercado de trabalho, pode-se dizer que o sistema da Previdência precisa ser avaliado e, se necessário, posteriormente adequado à Seguridade Social.
Os números do Governo Federal que apresentam um déficit previdenciário são diversos dos números apresentados por outras instituições, inclusive ligadas ao próprio governo. Não é possível encaminhar solução de assunto tão complexo com informações inseguras, desencontradas e contraditórias. É preciso conhecer a real situação da Previdência Social no Brasil. Iniciativas que visem ao conhecimento dessa realidade devem ser valorizadas e adotadas, particularmente pelo Congresso Nacional, com o total envolvimento da sociedade.
O sistema da Previdência Social possui uma intrínseca matriz ética. Ele é criado para a proteção social de pessoas que, por vários motivos, ficam expostas à vulnerabilidade social (idade, enfermidades, acidentes, maternidade...), particularmente as mais pobres. Nenhuma solução para equilibrar um possível déficit pode prescindir de valores éticos-sociais e solidários. Na justificativa da PEC 287/2016 não existe nenhuma referência a esses valores, reduzindo a Previdência a uma questão econômica.
Buscando diminuir gastos previdenciários, a PEC 287/2016 “soluciona o problema”, excluindo da proteção social os que têm direito a benefícios. Ao propor uma idade única de 65 anos para homens e mulheres, do campo ou da cidade; ao acabar com a aposentadoria especial para trabalhadores rurais; ao comprometer a assistência aos segurados especiais (indígenas, quilombolas, pescadores...); ao reduzir o valor da pensão para viúvas ou viúvos; ao desvincular o salário mínimo como referência para o pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), a PEC 287/2016 escolhe o caminho da exclusão social.
A opção inclusiva que preserva direitos não é considerada na PEC. Faz-se necessário auditar a dívida pública, taxar rendimentos das instituições financeiras, rever a desoneração de exportação de commodities, identificar e cobrar os devedores da Previdência. Essas opções ajudariam a tornar realidade o Fundo de Reserva do Regime da Previdência Social – Emenda Constitucional 20/1998, que poderia provisionar recursos exclusivos para a Previdência.
O debate sobre a Previdência não pode ficar restrito a uma disputa ideológico-partidária, sujeito a influências de grupos dos mais diversos interesses. Quando isso acontece, quem perde sempre é a verdade. O diálogo sincero e fundamentado entre governo e sociedade deve ser buscado até à exaustão.   
Às senhoras e aos senhores parlamentares, fazemos nossas as palavras do Papa Francisco: “A vossa difícil tarefa é contribuir a fim de que não faltem as subvenções indispensáveis para a subsistência dos trabalhadores desempregados e das suas famílias. Não falte entre as vossas prioridades uma atenção privilegiada para com o trabalho feminino, assim como a assistência à maternidade que sempre deve tutelar a vida que nasce e quem a serve quotidianamente. Tutelai as mulheres, o trabalho das mulheres! Nunca falte a garantia para a velhice, a enfermidade, os acidentes relacionados com o trabalho. Não falte o direito à aposentadoria, e sublinho: o direito — a aposentadoria é um direito! — porque disto é que se trata.” 
Convocamos os cristãos e pessoas de boa vontade, particularmente nossas comunidades, a se mobilizarem ao redor da atual Reforma da Previdência, a fim de buscar o melhor para o nosso povo, principalmente os mais fragilizados.
Na celebração do Ano Mariano Nacional, confiamos o povo brasileiro à intercessão de Nossa Senhora Aparecida. Deus nos abençoe!

Brasília, 23 de março de 2017.


Cardeal Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília
Presidente da CNBB

Dom Murilo S. R. Krieger, SCJ
Arcebispo de São Salvador da Bahia
Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner, OFM
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB

13. GESTOS E PALAVRAS NA LITURGIA

o CÍRIO PASCAL
Um símbolo muito importante em nossas celebrações litúrgicas é o Círio pascal. Círio vem do latim cereus, isto é, lembra a cera produzida pelas abelhas. Seu rico simbolismo se manifesta na noite da Vigília pascal.
O sábado santo é dia de silêncio diante do túmulo do Senhor. Na noite da solene Vigília, a Comunidade se reúne fora da igreja, como diante do túmulo de Jesus, fora de Jerusalém. A cera natural do Círio é imagem da carne virginal de Cristo morto que repousa no sepulcro. Depois de ter abençoado o fogo, quem preside a celebração acende o Círio e coloca cinco cravos no centro e nas extremidades de uma cruz desenhada no mesmo Círio, recordando os aromas que as mulheres levaram para ungir as chagas de Jesus.
Na cruz do Círio, encontram-se a data do ano e as letras alfa e ômega (primeira e última letra do alfabeto grego), para indicar que a Páscoa de Jesus é ‘o princípio e o fim do tempo e da eternidade’. A força do Ressuscitado nos sustenta na caminhada e se renova a todo ano; de fato, com sua luz, Ele acompanha a história da Igreja e do mundo. Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não caminha nas trevas, mas terá a luz da vida, disse Jesus (Jo 8,12).
Com o Círio aceso, levado pelo diácono (ou por quem preside a celebração), os fiéis entram na igreja escura, enquanto ecoa, por três vezes, o canto: “Eis a luz de Cristo”! Todos respondem: “Demos graças a Deus”. As velas e as luzes se acendem e, aos poucos, a igreja toda fica iluminada. É a luz de Cristo ressuscitado que vai iluminando a vida dos fiéis para torná-los luz do mundo, como Jesus pediu (cf. Mt 5,13-16).
O Círio é colocado junto do ambão da Palavra e se canta o solene ‘Precônio pascal’, um antigo e bonito hino ao Senhor vencedor da morte: “Na graça desta noite o vosso povo acende um sacrifício de louvor; acolhei, ó Pai santo, o fogo novo... Cera virgem de abelha generosa ao Cristo ressurgindo trouxe a luz: eis de novo a coluna luminosa, que o vosso povo para o céu conduz”.
Toda a celebração - com as nove leituras, que contam o acontecer da ‘história da Criação e da Redenção’, isto é, do amor de Deus para com a humanidade - acontece iluminada pela luz do Senhor que dá sentido aos acontecimentos, às vezes opacos e incompreensíveis, da vida. Os fiéis, com suas velas acesas, são como a Esposa que sai ao encontro do Esposo, feliz pela vitória que o Esposo alcançou, como proclama o evangelho.
O Círio permanecerá aceso, ao lado do ambão, pelas sete semanas do Tempo Pascal, até o Pentecostes. Também se acende na celebração do Batismo e da Crisma: à sua chama, pais / padrinhos e crismandos acendem a vela para manifestar sua fé. Ainda, o Círio se acende junto ao féretro, nas exéquias cristãs, para indicar que a morte do cristão é a sua própria Páscoa. O cristão participa da vida de Cristo cuja luz sempre o ilumina ao longo do caminho: Quem crê em mim, ainda que tenha morrido, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais (Jo 11,25-26).
Que a luz do Ressuscitado nos acompanhe e nos torne suas luminosas testemunhas.

Dom Armando

AGENDA DO BISPO








MARÇO 2017 - II
Dia
Horas
Onde
Atividade
18
Manhã
Casa do Bispo
Atendimento
15.30
Centro paroquial – Catedral
Atendimento, confissões Crismandos
19.30
Comunidade São José - Jussiape
S. Missa
19
08.00
Capela Casa do Bispo
Batizados
10.00
Comunidade Várzea Redonda - Paramirim
S. Missa, festa do Padroeiro
15.00
Comunidade Cipó - Paramirim
19.30
Paróquia Nsa. Sra. Bom Sucesso - Ibitiara
S. Missa (aniversário falecimento Pe. Aldo)
20
Manhã
Casa do Bispo - Cúria
Atendimento
Tarde
19.30
Comunidade São José - Catedral
S. Missa na festa do Padroeiro
21
Até dia 24
CNBB - Brasília
Encontro Conselho permanente e Comissão dos Ministérios
25
Manhã
Casa do Bispo
Atendimento
19.30
Catedral
S. Missa com Crisma
26
10.00
Paróquia SS. Sacramento – Rio de Contas
S. Missa com Posse novo Pároco
Tarde
Paróquia Nsa. Sra. do Alívio - Ituaçu
Início Visita Pastoral (até o dia 31)

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA POR OCASIÃO DE UM ANO DO FALECIMENTO DO PADRE ALDO




No dia 19 de março, às 19:30h, em celebração eucarística presidida por nosso bispo, Dom Armando, a Paróquia de Nossa Senhora do Bom Sucesso de Ibitiara recordou um ano do falecimento do Pe. Aldo Coppola, que durante muitos anos serviu à Diocese de Livramento de Nossa Senhora, especialmente na região de Ibitiara. 

A celebração foi marcada por um clima de saudades, mas, sobretudo, de confiança em Cristo, fonte da verdadeira vida. Por isso, como diocese, somos gratos pelo generoso serviço e pela missão realizada pelo Pe. Aldo. Junto de Deus, ele acompanha a nossa vida eclesial!