3º DOMINGO DA QUARESMA – ANO C


LEITURAS:
Ex 3, 1-8ª.13-15
Sl 102
1Cor 10, 1-6.10-12
 Lc 13, 1-9
“O Senhor é bondoso e compassivo”
A liturgia deste terceiro domingo da quaresma nos convida à conversão no seu tríplice sentido como ato livre, ato comprometedor e ato que custa. Assim, podemos trazer para a nossa vida o significado que esses atos nos trazem, visto que a conversão é um ato livre que o homem manifesta diante de Deus como aceitação e cumprimento das suas promessas; assim sendo, eis que surge a necessidade de um comprometer-se com as exigências para seguir o mestre, pois a conversão jamais poderá ser algo externo e temporário, muito pelo contrário, é a passagem da fé herdada para uma fé conquistada e professada, e assim, se concretiza com o ato que custa a cada um que decide seguir esse caminho que é longo e difícil.
Na primeira leitura nos é apresentada a missão que Moisés recebeu de Deus, neste texto está presente a história da salvação que apresenta o cumprimento da promessa feita a Abraão, em continuidade à liturgia do domingo passado, mostrando assim, o rosto misericordioso de Deus que escuta o clamor do seu povo e vai em socorro destes, pois, a iniciativa é sempre de Deus que se faz presente na vida humana e se compraz das dores e sofrimentos que atormenta o coração humano. Moisés recebeu de Deus não apenas o chamado, mas também a identidade e confirmação de que o nosso Deus não é um deus estranho, mas aquele que nos acompanha desde a eternidade, pois quando sabemos a quem seguimos não importa a distância a ser percorrida, mas a certeza de que o sofrimento será superado pela alegria de trazer no coração o nome de Deus “Eu Sou aquele que sou”.
No evangelho, ao mesmo tempo em que Jesus fala de misericórdia, também fala do arrependimento. Narra um fato histórico de difícil compreensão (o que aconteceu com os galileus e a torre de Siloé?), diante disso Jesus apresenta um ensinamento, e sua fala recorre a própria época, ou seja, o tema do “arrependimento”. Em seguida, Jesus conta a parábola da figueira estéril (eis que a figueira é símbolo de Israel, Natanael estava debaixo da figueira quando Jesus o encontra, e este, representa Israel) para mostrar a misericórdia e a paciência de Deus mediante as atitudes humanas, e assim, nos mostra qual atitude devemos ter para com aqueles que fazem parte da comunidade cristã. De tal modo como a planta precisa de cuidados e proteção para produzir, também necessita de cuidados o ser humano, pois a fé é uma semente que deve ser cuidada diariamente e cada árvore dará o fruto no seu tempo, tempo de conversão, tempo de arrependimento, tempo de escuta e seguimento do chamado de Deus, e assim, produzir frutos que sejam capazes de saciar o coração sedento do amor de Deus evitando uma vida estéril e vazia de sentido.
Na segunda leitura, ouvimos do apóstolo Paulo que não basta apenas estar de pé, faz-se necessário o cuidado para não cair. Assim, não basta apenas dizer que é cristão se não professar a fé na vida, não basta ser batizado, é necessário entrar debaixo da nuvem, atravessar o mar e beber do rochedo espiritual que é o próprio Cristo, a verdadeira fonte da vida.
Eis o tempo favorável para cultivarmos no terreno do nosso coração a figueira que produz frutos bons, e que o tempo no qual estamos vivendo nos seja também propício a uma verdadeira conversão de vida e de abraçar as causas que nos coloca no caminho da penitência, do jejum e da oração, e assim alimentados, possamos irradiar nos corações dos nossos irmãos o amor misericordioso e paciente de Deus.
Élcio Bonfim Neves
3º Teologia


Festa em louvor a São José na Paróquia Nossa Senhora da Saúde de Jussiape


Na última terça-feira(19), os fiéis da Paróquia Nossa Senhora da Saúde de Jussiape, com fervor, alegrou-se em celebrar a festa de São José, nas Comunidades de São José e São José de Canabrava. As duas Comunidades durante o Novenário refletiram sobre o tema: “O Chamado Missionária na História da Salvação”, seguindo as orientações da Carta Pastoral de Dom Armando: Igreja Missionário a Serviço do Evangelho. Durante o Novenário, as Comunidades receberam convidados, das comunidades da Paróquia e de outras paróquias circunvizinhas.    
A Missa festiva, na Comunidade de São José, foi presidida pelo nosso Bispo Dom Armando, antes da celebração, Dom Armando atendeu confissões e as 17h, ele presidiu a celebração da Eucaristia. No final da Missa, a Comissão de festa 2019,  Grupo de Casais, entregou a bandeira ao CPC (Conselho Pastoral Comunitário).
Na Comunidade de São José de Canabrava, às 16h30min o Pe. Renato Aguiar presidiu a celebração da Eucaristia e em seguida, tivemos uma bela procissão. O Grupo do Terço das Mulheres, comissão 2019, entregou a Bandeira aos Crismandos, que animarão a festa no próximo ano. No final da Missa,  foi partilhado um lanche, preparado pelos membros da Comunidade, enquanto observavam a queima de fogos.
Que Deus nos ajude a colocar em prática o que aprendemos durante o novenário e que saibamos ouvir e atender ao “Chamado Missionário” que Deus nos faz. São José esposo da virgem Maria e Patrono da Igreja: Rogai por nós!
               Pascom da Paróquia de Jussiape

O SIGNIFICADO E A IMPORTÂNCIA DA PENITÊNCIA NO PERÍODO QUARESMAL


No Site da CNBB, dom Armando, fala também sobre o significado e a importância da penitência no período quaresmal e afirma que na Bíblia não se encontra a palavra penitência. Mas fala-se, no entanto, da necessidade e urgência de se converter, de acreditar na “bela notícia”. Ele explica que há o retorno dos termos, ‘arrependimento’ (Mt 3,8; Lc 3,3; 2Cor 7,10; 2Tm 2,25 etc.), ‘compunção’ (At 2,37), ‘contrição’ (Sl 51,17), e o insistente convite a ‘tornar – voltar a Deus’. Segundo ele, “A Palavra de Deus pede que vivamos de acordo com as exigências da aliança, do compromisso que o fiel acolheu e assumiu com Deus”.

O SENTIDO E OS TIPOS DE JEJUM DURANTE A QUARESMA


No Site da CNBB, dom Armando, escreve sobre os sentidos do jejum e diz que para compreender melhor o sentido do jejum, é preciso recordar o que escreve o apóstolo Paulo aos Filipenses (3,18-19): “Há muitos que se comportam como inimigos da cruz de Cristo. O fim deles é a perdição, o deus deles é o estômago… só pensam em coisas terrenas”. Ele continua dizendo, em tempos de uso (e abuso) das palavras, das redes sociais, das relações humanas cotidianas, a renúncia na vida cristã visa não tanto o negativo, mas o positivo, isto é, o crescimento interior, a busca sincera do essencial, para acolher o projeto do Senhor que é não julgar, partilhar, ser solidário, doar, amar. Dom Armando afirma ainda que, “Seremos julgados não pelo jejum que fizemos, mas pela disponibilidade sincera e constante em ser pessoas que vivem relações humanas autênticas, com os outros e com Deus”. 

A Comunidade de Vazante - Paróquia de São João Batista de Contendas do Sincorá, celebrou seu Padroeiro São José



Após intensa preparação espiritual, através de novenas, a Comunidade de São José, Esposo de Maria, da Vazante - Paróquia de São João Batista de Contendas do Sincorá, celebrou na Noite desta terça-feira, 19 de março, à Missa Solene da Festa. A Celebração aconteceu às 19:30h, na Capela da comunidade, e foi presidida pelo Pe. Claudio Machado, Pároco de Contendas, que na ocasião, agradeceu a comunidade pelo empenho e zelo com a construção da capela, dedicada a São José Esposo de Maria.
Em nossa Igreja Católica, São José, recebe oficialmente homenagens em duas celebrações litúrgicas. A primeira, acontece em 19 de março, quando é invocado como Esposo da Bem Aventurada Sempre Virgem Maria e, a segunda, no dia 01 de maio, quando é invocado pelos fies, com o doce título de São José Operário.
Pascom de Contendas do Sincorá

Crisma em Ibipitanga


POIS SÓ QUANDO VIVEMOS UNIDOS É QUE O ESPÍRITO SANTO VEM!

Sacramento da Crisma: confirma-nos na fé cristã

Neste domingo, 17, foi realizado a Missa da Crisma em Ibipitanga, neste segundo domingo do período quaresmal. A turma (2017-2018), sob direção das catequistas Cléia e Carol, puseram-se diante do Altar do Senhor, perante nosso bispo Diocesano e a comunidade paroquial, celebrando e acolhendo o sacramento da Confirmação. Agora a jornada continua para estes jovens e com alegria possamos contemplar estes frutos em nossa comunidade.








PASCOM NOSSA SENHORA DO CARMO


GIRO PELA DIOCESE


FORMAÇÃO PARA CATEQUISTAS NA PARÓQUIA DE SÃO JOÃO BATISTA EM CONTENDAS DO SINCORÁ 


No último final de semana, dias 16 e 17 de Março, na Paróquia de São João Batista de Contendas do Sincorá aconteceu uma formação para catequistas, com o objetivo de conhecer e refletir sobre a nova Carta Pastoral de Dom Armando, publicada em fevereiro. Continuando o Projeto de Evangelização "Igreja missionária a serviço do Evangelho", a carta apresenta "a missão da Família na Sociedade e na Igreja".
Cerca de 25 catequistas, vindos de várias Comunidades da Paróquia, participaram da formação, que foi conduzida pelo seminarista Marcos Bento. Foi momento de grande a alegria, tanto para os catequistas iniciantes, quanto para os veteranos!  

Pascom de Contendas do Sincorá

CELEBRAÇÃO DA CRISMA NA PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DO ALÍVIO EM ITUAÇU



No último sábado(16), às 17h, dom Armando presidiu a celebração da Crisma na Comunidade do Fundão, Paróquia de Nossa Senhora do Alívio –Ituaçu.  Foram crismados, jovens do Açude e das comunidades vizinhas. O padre Adil, pároco de Ituaçu, concelebrou com o nosso bispo. Foi grande o entusiasmo e alegria de crismandos, pais, padrinhos e fiéis presentes. 


AGENDA DO BISPO

MARÇO 2019 - II

Dia
Horas
Onde
Atividade
18
Manhã
Casa do Bispo
Atendimento
Tarde
Atendimento
19.30
Paróquia Nsa. Sra. do Bom Sucesso - Ibitiara
S. Missa no 3º aniversário da morte de Pe. Aldo
19
Manhã
Casa do Bispo – Cúria
Atendimento
17.00
Comunidade São José - Jussiape
S. Missa na festa do Padroeiro São José
19.30
Comunidade São José - Catedral
20
Manhã
Rio de Contas - Raposo
Retiro Padres da Diocese
19.30
Catedral
S. Missa
Em Rio de Contas, continua o Retiro dos Padres: todos acompanhem com sua oração
23
Tarde
Casa do Bispo
Atendimento
19.30
Comunidade Morrinhos – Catedral
S. Missa
24
Manhã
Paróquia Nossa Senhora Da Saúde - Jussiape
Retiro com MESCE e Catequistas
14.30
Paróquia Catedral: Centro paroquial
Retiro para todos
19.30
Comunidade Vereda – Catedral
S. Missa
25
Até o dia 28: Em Brasília (CNBB): Encontro do Conselho Permanente
29
Manhã
Casa do Bispo
Atendimento
19.30
Paróquia Nossa Senhora do Alívio - Ituaçu
S. Missa com Crisma
30
Manhã
Centro diocesano
Encontro Pastoral Litúrgica e Música
31
Manhã
Catedral: Centro paroquial
Retiro aberto a todos

2° Domingo da Quaresma – Ano C

Leituras:

    Gn 15,5-12.17-18
    Sl 26
    Fl 3,17–4,1
    Lc 9,28b-36

O caminho quaresmal, neste segundo domingo, aponta para a esperança da realização da promessa de Deus. Aguardar a realização de uma promessa gera sempre uma ansiedade ou insegurança que facilmente podem nos conduzir ao desânimo e ao pessimismo frente a realidade. As leituras deste domingo nos recordam a fidelidade de Deus que sempre nos oferece sinais que apontam para sua fidelidade à aliança.

A primeira leitura relata a experiência de Abrão. O Senhor faz com Abrão uma aliança prometendo-lhe uma numerosa descendência e uma porção de terra onde habitarão seus filhos. Abrão confia em Deus. Ele será o primeiro a caminhar na esperança da realização das promessas de Deus. Ele caminha confiante, abandona-se nas mãos de Deus na certeza da realização do que o Senhor lhe prometeu, mesmo sem vislumbrar essa realidade de imediato.

O Evangelho nos traz o relato da transfiguração do Senhor. Este texto sempre aparece nos evangelhos após o anúncio da paixão quando Jesus antecipa aos discípulos que haveria de sofrer e ser condenado em Jerusalém. O anúncio da paixão foi um momento que trouxe dúvidas aos discípulos e abalou a sua fé. A ideia que tinham de um messias poderoso que viria para reestabelecer o domínio de Israel não era compatível com a figura de um servo sofredor, tal como narrado por Jesus. 

A cena da transfiguração se torna, desse modo, um evento que vem para resgatar a esperança dos discípulos, fazendo-os contemplar antecipadamente a glória de Cristo. Ou seja, ao verem Jesus transfigurado os discípulos são convidados a acolher e confirmar a identidade divina Cristo, que poderia ser abalada pela a realidade da paixão e da cruz. Assim, a transfiguração é um sinal que os discípulos vislumbram para ajudá-los a compreender que Deus age na história apesar dos sinais de morte que vêm roubar a esperança.

A carta aos Filipenses também expressa esse convite à esperança. Paulo propõe à comunidade permanecer firme na fé, apesar dos muitos inimigos da cruz de Cristo. Esses adversários não devem fazer-nos desistir do caminho do evangelho. A existência deles não significa que Deus abandonou seu povo. Ao contrário, é esperando na fé, com perseverança, que experimentaremos um dia a vitória final.

Todas as leituras, portanto, propõem refletir essa realidade: lidamos com situações difíceis, eventos negativos no mundo e na história, porém isso não é motivo para perdermos a esperança, pois Deus há de cumprir a sua promessa. Como Ele é foi fiel e não abandonou o seu povo, continuará a manifestar o seu amor e fidelidade na história da humanidade. 

O tempo quaresmal nos propõe renovar a nossa esperança em Deus. O Reino, por Cristo anunciado, se realizará. Os descaminhos da nossa história não devem levar-nos ao pessimismo ou ao desânimo. Ao contrário, precisamos continuar a trilhar firmes no caminho de Deus, que não cessa de nos dar sinais do seu amor e da sua fidelidade que se cumprirão definitivamente no fim dos tempos. 

Pe. Jandir Silva

Reunião do Conselho de Pastoral Paroquial da Paróquia de Tanhaçu

Reuniu-se, no dia 09 de março, o Conselho de Pastoral Paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Tanhaçu. O encontro foi uma importante ocasião para coordenadores das comunidades e das pastorais, juntamente com o padre, avaliarem a caminhada da paróquia, percebendo os passos dados e os muitos desafios a serem trilhados.

O encontro teve por objetivo, também, destacar três linhas de trabalho para este ano de 2019: a continuidade do projeto missionário na cidade e na zona rural, destacando lugares carentes da presença da Igreja; a vivência da Campanha da Fraternidade; e o destaque pastoral à família, como sugerido pelo Bispo Diocesano em sua Carta Pastoral de 2019.

Ainda na ocasião, foram acolhidos os seminaristas da filosofia - Ailton, Anderson e Augusto - que realizarão a atividade pastoral em nossa paróquia neste ano. Eles acompanharão algumas comunidades e estarão a disposição de outros grupos e pastorais em suas atividades de formação. 

Que a Mãe do Perpétuo Socorro ajude ainda mais a Paróquia e cada um dos seus fiéis na caminhada da Evangelização!