CAFÉ FILOSÓFICO: O MEDO EM UMA VISÃO FILOSÓFICA

Você tem medo?
Por que sentimos medo?
Qual a origem do medo?
 O Medo tem uma ligação direta com a angustia. Depois de ter delineado os estados fundamentais da existência, o filósofo Kierkegaard aprofundou os conceitos de angústia e desespero. A angústia, como Kierkegaard exprime em O conceito de angústia, é entendida como relação do eu com o mundo. Neste caso o medo e derivado dessa angustia, angustia esta das possibilidades. Pois é possível morrer, adoecer, perder o emprego, é possível se divorciar, perder um ente querido entre muitos outros. Com essa angustia o medo surge, e evidentemente e se transforma em dor caso venha a se realizar. Vamos aprofundar mais esse assunto com as teorias de alguns filósofos mais a baixo.
O Medo em Jean Paul Sartre
 Jean Paul Sartre, filósofo existencialista também define dois tipo de medo, o medo real, por exemplo, uma pessoa vem andando e repentinamente depara-se com uma cobra em posição de ataque, então surge o medo real, contudo, após uns minutos já livre do perigo a pessoa começa a pensar que a cobra bem que poderia tê-lo mordido, injetado veneno letal, então surge um sentimento de angústia . Portanto, qual a diferença entre o medo krinamurtiano e sartriano? Com relação ao medo no agora, sem pensamento não existe diferença, mas entre o medo psicológico e a angústia de Sartre existem pontos comuns como ação do pensamento na formação do medo. Não obstante, as similaridades existe um fator diferenciador que é angústia não apenas medo elaborado, mas a certeza permanente de que um dia vai deixar de existir, a certeza da finitude sem Deus, assim, a meu ver os dois sábios dizem a mesma verdade com linguagem diferenciada, mas, ambos estão falando da mesma coisa: A fragilidade humana perante a existência.
O Medo, segundo Baruch Espinosa.
Dessa forma, vemos que para Espinosa o homem é inconstante, maleável, incapaz de ser o que é. A situação de conforto ou de riqueza traz ao homem sabedoria, força e coragem que são características importantes no homem e que o guiam em suas decisões e projetos. Entretanto, estes mesmos homens que jamais aceitariam opiniões em tempos de fortuna, na adversidade se apegam a todo o tipo de conselhos. Tornam-se religiosos do dia para a noite, enchem os bancos das igrejas louvando e cantando a Deus, o motivo da conversão? O medo. A possibilidade da penúria, da tristeza, da falta no lugar da abundância fazem os homens procurarem de tudo e colocarem a culpa em qualquer coisa, uns dizem: “É coisa do demônio!”, outros: “É um espírito maligno!”. Um exemplo disso são as igrejas que prometem a mudança, a riqueza ou então pais de santo que desfazem qualquer amarração, que trazem a pessoa amada em “2 dias!”. Tais slogans atraem os desesperados, sedentos por uma solução divina para seus medos.
O medo para Espinosa é a causa que origina, conserva e alimenta a superstição. Os homens, em sua grande maioria procuram a Deus não por causa Dele, mas sim para conservar suas vaidades e perdem, dessa maneira, uma oportunidade valiosa de serem melhores através da ação de Deus. Mas não, todos estão em busca de um milagre que é a solução dos problemas. Isso é o que me dá medo!

Jardel Almeida
1º Ano 

I ENCONTRO DIOCESANO DE CORAIS

O canto litúrgico é uma forma privilegiada que proporciona a participação ativa da assembleia nas celebrações. Através da música, damos alma à liturgia e promovemos a comunhão dos fiéis que, numa só voz, entoam hinos de louvor ao Deus da vida. Considerando a importância do canto em nossas celebrações, juntamente com a riqueza do Hinário Litúrgico brasileiro, nossa Diocese de Livramento de Nossa Senhora irá promover no dia 19 de maio deste ano 2019, o I Encontro Diocesano de Corais, que tem por objetivo reunir corais das diversas paróquias, para momentos de formação e de apresentações. As oficinas com os corais terão início às 9 h, no Centro Diocesano e as apresentações serão realizadas na Catedral, a partir das 14 h. O momento das apresentações será aberto ao público e encerrado com a celebração da Santa Missa, às 17 h, cantada por todos os corais. Todos estão convidados a viver conosco este momento que expressa a tradição musical da Igreja e qualifica a participação da assembleia na liturgia.

Horário das aulas da ETeL

Já se aproxima mais uma etapa da Escola de Teologia para Leigos!!!


Estaremos aguardando a todos!

ABRIL 2019 - III


Dia
Horas
Onde
Atividade
22
Manhã
Casa do Bispo
Atendimento
Tarde
19.30
Comunidade Matinha de Cima - Catedral
S. Missa com Crisma
23
Manhã
Casa do Bispo
Atendimento
Tarde
Atendimento
19.00
Comunidade Lages - Ituaçu
S. Missa com Crisma
24
Manhã
Casa do Bispo e Cúria
Atendimento
19.30
Comunidade Várzea de Dentro - Catedral
S. Missa (Novena Padroeiro São José Operário)
25
Manhã
Cidade
Visita doentes
Tarde
Casa do Bispo
Atendimento
18.00
Comunidade Lagoa Cumprida - Taquari
S. Missa e batizados
26
Dia
Centro diocesano
Escola de Teologia para Leigos
27
Dia
Centro diocesano
Escola de Teologia para Leigos
28
Manhã
Centro diocesano
Escola de Teologia para Leigos
15.00
Comunidade Casa de Telhas - Catedral
S. Missa
17.30
Capela Casa do Bispo
Celebração de Matrimônio
19.30
Catedral
S. Missa com Crisma
29
Manhã
Casa do Bispo - Cúria
Atendimento
Tarde
Casas do Bispo
30
(Até o dia 12) Viagem para Aparecida – Assembleia Geral dos Bispos

CRISMA NA COMUNIDADE DA MATINHA DE CIMA


Ontem (22), ás 19h, na Igreja da Comunidade da Matinha de Cima, Paróquia de Nossa Senhora do Livramento, Dom Armando presidiu a celebração da Crisma de 09 crismandos da comunidade. Na homilia, Dom Armando, utilizando-se de palavras afáveis, como sempre faz, propôs algumas reflexões sobre as leituras da segunda feira, da oitava da Páscoa, sobre o significado da crisma e, ao final da conversa, ele incentivou os crismandos e toda a comunidade a serem cristãos autênticos, corajosos; cristãos que não têm vergonha de professar a própria Fé em Jesus Cristo Ressuscitado. O Padre Mário, pároco da Paróquia de Tremedal, Diocese de Caetité, concelebrou com o nosso bispo e grande número de fiéis participou da celebração. 

                       Veja mais fotos!


Semana Santa nas Paróquias da Diocese

A Semana Santa é um período muito especial para as comunidades cristãs, pois, ao fazer memória da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, nós celebramos os fundamentos da nossa fé. Esses dias são marcados por celebrações litúrgicas com ritos e símbolos muito próprios. Veja como foram as celebrações nas Paróquias da Diocese. Clique e acesse as fotos:





PÁSCOA DE RESSURREIÇÃO


Leituras:
Atos 10,34a.37-43;
Salmo 117/118;
Colossenses 3,1-4;
João 20,1-
A Igreja exulta de alegria porque Jesus venceu a morte e sua vitória é semente de esperança e farol luminoso que dá à nossa vida terrena uma luz que não se apaga e a certeza de uma vida que não morre.
Tudo o que nós cristãos acreditamos, encontra na Páscoa do Senhor sua razão. É a vitória sobre ‘o último inimigo do ser humano’ que nos permite viver neste mundo de forma diferente, porque a vitória de Cristo nos pertence, ela é também ‘nossa vitória’.
A Liturgia da Palavra hoje recorda, antes de tudo, a descoberta do túmulo vazio - “no primeiro dia da semana” -por parte das mulheres, do apóstolo Pedro e do ‘discípulo que Jesus amava’ (Evangelho). É uma ‘corrida’ ao túmulo que ‘vazio’ – ‘tiraram o Senhor do túmulo, diz Madalena - fala alto, e bastou o túmulo vazio e ‘o discípulo amado’ “viu e acreditou”: quem tem olhar transparente e vê com o coração, entende!
Não muito tempo depois, o apóstolo Pedro dá seu corajoso testemunho: “Nós somos testemunhas de tudo o que Jesus fez na terra dos judeus e em Jerusalém” (I leitura). Pedro faz um resumo da vida pública de Jesus, até os eventos finais da morte e da ressurreição. Acrescenta que é por ordem do mesmo Jesus que ele e os demais apóstolos “pregam e testemunham” tudo o que aconteceu com Jesus. Nisso, nós hoje encontramos as razões de nossa fé e a urgência de uma vida coerente com essa fé.
Por isso, o apóstolo Paulo (II leitura) recomenda aos seus cristãos: “Se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto”. Mas, o que são ‘as cosias do alto’? Trata-se de viver cada momento da vida de forma nova, repleta de amor, de bondade, de dom-de-si mesmo. Você não está ligado às coisas do alto (só) quando reza (e... veja com quais atitudes reza!), mas se viver cada atividade e encontro com simplicidade, gratuidade, pureza de coração... amor sincero. Este é o fruto da Páscoa! As ‘coisas do céu’ não afastam da ‘terra’, isto é, da vida cotidiana,com suas fadigas e seus desafios, mas proporcionam um novo jeito de ser, repleto do amor de Jesus.
Páscoa é o evento que abriu novos horizontes na vida da humanidade. Por isso, “transbordamos de alegria pascal” (oração sobre as oferendas), porque foram abertas para nós “as portas da eternidade” (Oração do dia). A Igreja é convidada a cantar: “Salve, ó vítima pascal” Cordeiro inocente, o Cristo abriu-nos do Pai o aprisco” (Sequência).
A todas e todos, irmãs e irmãos, desejo que a festa de Páscoa seja repleta da alegria que vem de Deus e se transforma em amor concreto e empenho fiel de seguir a Jesus, participando sempre da Páscoa semanal, isto é, da Eucaristia ou da Celebração da Palavra, para alimentar a fé que brota da Ressurreição do Senhor Jesus.
Dom Armando

CELEBRAÇÕES DA SEMANA SANTA NA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO

SANTA MISSA COM UNÇÃO DOS ENFERMOS

 

Na última segunda-feira(15), às 17h, na Catedral de Livramento de Nossa Senhora, Dom Armando presidiu a Celebração Eucarística com os enfermos. A celebração foi animada pela Pastoral da Pessoa Idosa e contou com a participativa de um grande número de pessoas. Todos os doentes, que quiseram, receberam a Unção com o Santo Óleo dos Enfermos.   Foi interessante notar, nas pessoas ungidas, o brilho nos olhares e a esperança renovada, pela Fé nesse importante sacramento.   

 

 

 

 

PROCISSÃO LUMINOSA

Ontem (16/04), na Igreja da Comunidade do Passa Quatro, Paróquia Nossa Senhora do Livramento, às 19:30h, deu-se início à bela, luminosa e orante caminhada dos fiéis das paróquias de Livramento e Taquari, até a Igrejinha de Santo Antônio, no alto do monte, onde dom Armando presidiu a Celebração da Eucaristia. Concelebraram o pároco da Catedral, Pe. Ademário e o Pe. Josemar, da Paróquia do Senhor Bom Jesus do Taquari. No decorrer do percurso, grande número de pessoas, rezaram as estações da Via-Sacra, meditando os sofrimentos de Jesus e a dura realidade de irmãos nossos que sofrem por falta de Políticas Públicas que as amparem, em suas necessidades básicas: saúde, educação, saneamento e segurança.

"O Amor de Cristo nos impulsiona"


Nossa igreja se alegra por comemorar o aniversário de ordenação episcopal de nosso pastor Dom Armando Bucciol. É uma grande alegria te-lô como servo do Senhor em nossas terras. 
Rezemos pelo seu ministério e pastoreio. 



MISSA DE PRIMEIRA EUCARISTIA NA COMUNIDADE DA MATINHA DE CIMA


Contando com a presença de grande número de fiéis, Dom Armando presidiu ontem(15), às 19h, na Igreja da comunidade da Matinha de Cima, Paróquia de Nossa Senhora do Livramento, à Celebração Eucarística, na qual, 20 adolescentes da Comunidade fizeram a sua primeira Eucaristia. Na Homilia, Dom Armando fez uma bela reflexão sobre as leituras e no final, convidou a todos para maior participação e compromisso na vida da Igreja e para um maior testemunho cristão na sociedade. Foi momento de festa e de alegria para os catequizandos, familiares e para todos da comunidade. Veja as fotos!